quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

desculpem aos poetas



Em defesa dos poetas,

é dizer que não sentiram
versos tao duros,
Nem se entregaram,
a paixões fulminante,
apenas rabiscaste,
algum versos raros, 
e  que tao fracos, nem foram!
e talvez, não tao pecadores,
e  não viveram, 
todos esses amores.

Dos seus leitores,
pedem a indulgência
que não os crucifixem
ao narrar a nossa insanidade,
em palavras, sentimentos mil,
e não os destratem,
ao falar da humanidade,
tao linda, bela e tao vil.

2 comentários:

Rosemeire Silvério disse...

BEM LEGAL SEU TEXTO , PARABENS

Wellington Lima disse...

Adorei a última estrofe, tão melodiosa e precisa!
http://wlquartoescuro.blogspot.com