domingo, 22 de julho de 2012

Sou tão jovem, minha terra !


Meu Deus,
sou tão jovem !

Ah!, minha linda terra,


tenho pena, és tão velha,
não sabe nem de onde vem,
apenas presa, escrava do sol,

e os homens promovem,
a ignorância, opressão e guerra,
Financista da mesma quadrilha,
com seu discurso gélido,
que a tudo humilha.
Esse é o futuro prometido?

Pare o ônibus, quero saltar.

Para a terra, eu vou pular,
Procuro outro planeta!


Um comentário:

Cristina ferber vieira lessa disse...

Certamente é triste desperdiçar a juventude onde não se possa crescer e florescer, ainda mais quando lembranças e sentimentos nos fazem ficar aqui, em nossa terra. Parabéns Marcos! Belo Poema!